Amolador de facas e outros objetos.

amolador

Antigo sistema de amolar facas, tesouras e outros objetos cortantes utilizava rudimentar máquina que era transportada pelas ruas pelo profissional.

A figura do amolador de facas itinerante, que percorria as ruas dos bairros com seu curioso equipamento de trabalho está praticamente extinta. É raro ver-se, ou até não se vê mais, o tradicional amolador percorrendo as ruas do Rio, em busca de clientes para afiar facas, tesouras e outros objetos cortantes.

Ele se anunciava com um som metálico estridente, produzido pelo atrito de uma lâmina de aço em contato com uma roda que girava, acionada por um pedal. Essa mesma e única roda servia tanto para a locomoção de seu instrumento de trabalho como também para acionar o esmeril que amolava os objetos que lhes eram confiados para esse serviço. Terminado o atendimento dos clientes bastava inclinar a máquina, mudando-a de posição, e a roda encostava no solo pronta para o transporte do equipamento, que era bastante rudimentar. O serviço era feito na hora, em pouco tempo, e uma vez concluída a tarefa, lá ia ele para outros lugares em busca de novos trabalhos.

Esse tipo de profissional a domicílio, que percorria as ruas, hoje talvez inexistente, foi substituído por lojas e quiosques que executam os mesmos serviços usando a energia elétrica e métodos mais modernos, com menor esforço físico de quem executa a tarefa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *